quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Camacan:RESTAURANTE TIA CARMEM;AGORA SERVINDO FEIJOADA TODAS AS QUINTAS-FEIRAS

O tradicional restaurante da Tia Carmem,fica no centro da cidade,Rua Carlos Gomes,Camacan-Ba. WhatsApp 73 9 82166880 
Ninguém sabe ao certo se seu cozimento começou na senzala para aproveitar as partes menos nobres dos porcos abatidos ou se ela chegou à casa grande por influência do cozido português ou do cassoulet francês. O fato é que ela se tornou um prato tipicamente brasileiro, quase uma unanimidade nacional. Com um preparo que dura dias, ingredientes selecionados e uma busca constante pela culinária tradicional, a feijoada ganhou ares refinados e faz sucesso.
A combinação de linguiça, paio, charque, costelinha, orelha, rabo e pé de porco com feijão surgiu no século 19 e logo se tornou um prato tipicamente brasileiro, consumido em todo o país.Linguiça, paio, charque, costelinha, orelha, rabo, língua e pé de porco misturados e cozidos com feijão preto. O tempero, cada um tem o seu, mas é importante não se esquecer do alho, da cebola e de um toque de pimenta-dedo-de-moça. De acordo com o historiador Luís Câmara Cascudo, autor do livro História da Alimentação no Brasil (Global Editora), essa mistura surgiu no século 19 e foi uma adaptação brasileira dos cozidos europeus, como o cozido português feito com diversos tipos de corte de carne, legumes e feijão branco. Apesar de ser conhecida mais por sua forma tradicional, em algumas regiões do país, a feijoada sofreu adaptações. No Nordeste, é comum juntar abóbora ou maxixe na receita ou usar o feijão carioca no lugar do preto. 

Se a feijoada surgiu como um prato com carne de porco e feijão, com o tempo ela se tornou uma refeição completa. Porções de arroz branco, couve, farofa, torresmo e laranja fazem parte de um menu com as panelas de feijão. Nos últimos anos, ela ganhou status ao lado de pratos internacionais no cardápio.
O jeito rústico e tradicional de servir é valorizado em restaurantes e para os apreciadores surgiram mais opções de degustação. Foram feitas sugestões de harmonizações com vinhos, mas a melhor bebida para acompanhar ainda é a caipirinha, servida de cortesia em muitos dos estabelecimentos para quem escolhe a comida típica da culinária brasileira.

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site:


Não serão aceitos comentários que:

1. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

2. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.