terça-feira, 15 de dezembro de 2015

A pós-graduação pode mesmo aumentar o meu salário?

Especialistas se dividem sobre a questão

Gabriela Portilho 
Com a corrida educacional cada vez mais aquecida, os cursos de pós-graduação passaram a ser praticamente uma extensão das graduações. No entanto, especialistas na área ainda se dividem ao relacionar diretamente a pós-graduação a um aumento do salário, ponderando que outros valores têm que estar em jogo.
Um estudo produzido no ano passado pela empresa de recrutamento Catho Online mostrou que profissionais que fazem pós-graduação chegam a receber até 70% mais do que aqueles que não fazem. Outro estudo anterior da Fundação Getúlio Vargas mostrou que cada ano de pós-graduação cursado resulta em 40% de aumento na renda mensal.
No mundo empresarial, os diferenciais já começam a ir além da especialização ou MBA. Uma pesquisa realizada pela consultoria de carreira Produtive com cerca de 400 executivos mostrou que 68% deles já cursaram pelo menos um MBA ou especialização, mas que os maiores salários mesmo estavam entre aqueles que fizeram mestrado ou doutorado.
Após quatro anos fora da sala de aula, Guilherme Queiroz, consultor de finanças na Votorantim Cimentos, decidiu cursar o MBA Executivo em Finanças no Insper para atualizar seus conhecimentos de gestão e dar um passo maior na carreira. "Todos os meus colegas de trabalho que fizeram o MBA tiveram a carreira alavancada e assumiram posições mais desafiadoras dentro da empresa, o que acabou sendo um incentivo", comenta.
Outros fatores importantes para o crescimento profissional Mas os especialistas alertam: só os títulos acadêmicos não são garantia de sucesso profissional. "O bom profissional traz outras características que estão além da sua formação educacional, como a facilidade para trabalhar em grupos, o comprometimento com as tarefas e a inteligência emocional que apresentam diante das variadas situações", explica o consultor de Programa de Estudos do Futuro da Fundação Instituto de Administração (FIA), Carlos Honorato.
A gerente de Educação da Fundação Estudar, Renata Moraes, compartilha dessa visão: "Mesmo que for feito em uma boa universidade, só um bom curso não é garantia de sucesso profissional, nem de retorno financeiro. Vai depender muito da qualidade do profissional e seu caráter pessoal, além da escolha correta da área. Se eu sou administrador de empresas e escolhi uma pós em História da Arte, mesmo que feita em Harvard, ela não terá muito valor para o meu currículo", explica.
Vale lembrar que fazer cursos de pós-graduação em escolas de baixa qualidade ou pouco prestígio também pode ser contraprodutivo. "Muitas universidades se aproveitam do desespero dos alunos em fazer uma pós ao já saírem da faculdade oferecendo cursos de baixa qualidade, o que fará com que você jogue tempo e dinheiro fora", explica o consultor Silvio Bock.
Ou seja, o retorno da pós-graduação para a carreira tem que ir além de mais um título no currículo. É importante que, durante o período de estudos, o aluno aproveite para expandir seus conhecimentos na área, melhorar sua capacidade de trabalho em equipe e desenvolver suas habilidades em inovação. É o conjunto de todos esses fatores que aumenta a chance de alcançar cargos melhores e obter um bom retorno financeiro com o curso.
LEIA MAIS

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site:


Não serão aceitos comentários que:

1. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

2. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.