sábado, 12 de setembro de 2015

MPF afirma que Edilson manteve contato com organização criminosa

MPF afirma que Edilson manteve contato com organização criminosa
Foto: Reprodução/ESPN
Mesmo negando envolvimento com supostas fraudes no pagamento de prêmios de loterias da Caixa Econômica Federal (CEF), o ex-jogador Edilson Capetinha é apontado como suspeito pelo Ministério Público Federal de Goiás (MPF-GO). De acordo com o órgão, o ex-atacante da seleção brasileira foi flagrado em escutas telefônicas após ter tido contato com membros da organização criminosa. As informações são do procurador da República Hélio Telho Corrêa Filho, do MPF-GO, que chegou a pedir a prisão de Edilson por conta do que foi ouvido nas escutas. No entanto, o pedido foi negado pela Justiça Federal.
De acordo com o advogado do ex-jogador, a recusa do pedido de prisão é um indício de que Edilson não possui envolvimento com o caso. "Eu não tenho dúvida de que essa situação vai se esclarecer. As provas que a polícia tentou vincular a Edilson são muito fragéis. Justamente por isso, o juiz não determinou a prisão", afirmou Thiago Phileto, em entrevista ao site G1.

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site:


Não serão aceitos comentários que:

1. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

2. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.