quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Jornal questiona se foto de menino morto fará a Europa mudar a política de imigração

Símbolo da crise migratória que já matou milhares de pessoas do Oriente Médio e da África  (Foto: AP)
Símbolo da crise migratória que já matou milhares de pessoas do Oriente Médio e da África (Foto: AP)
A foto do garoto morto numa praia da Turquia virou símbolo da crise migratória dos que tentam chegar na Europa, fugindo das perseguições e pobreza que já mataram milhares de pessoas no Oriente Médio e África. A foto se tornou destaque na imprensa internacional e um dos assuntos mais comentados do Twitter.
O jornal inglês “Independent”,  questionou a política europeia e disse: “Se estas imagens com poder extraordinário de uma criança síria morta levada a uma praia não mudarem as atitudes da Europa com relação aos refugiados, o que mudará?”. Já o tradicional jornal britânico”The Guardian”,  disse que as fotos levaram para as casas das pessoas “todo o horror da tragédia humana que vem acontecendo no litoral da Europa”. O americano “Washington Post”  classificou a imagem de “o mais trágico símbolo da crise de refugiados do Mediterrâneo”.
(Foto: AP)
(Foto: AP)
De acordo com a Anistia Internacional e a Comissão Europeia, o mundo enfrenta a pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, com mais de 350 mil imigrantes atravessando o Mediterrâneo desde janeiro deste ano e mais de 2 643 mortos no mar durante a viagem, segundo os dados da OIM (Organização Internacional para as Migrações).
Cerca de 220 mil chegaram à Grécia e 115 mil, à Itália. Mais de 2 mil chegaram à Espanha e uma centena a Malta. O número no decorrer de 2015 já supera o total de 2014, quando 219 mil migrantes tentaram atravessar o Mediterrâneo.

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site:


Não serão aceitos comentários que:

1. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

2. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.