domingo, 28 de maio de 2017

CANAVIEIRAS E SUA HISTÓRIA

Formada por Sete ilhas marítimas, diversas fluviais, sendo a Ilha de Atalaia uma das mais importantes, dezessete quilômetros de praias, coqueirais, Mata Atlântica e áreas de manguezal que abrigam garças, papagaios, periquitos, gaivotas e andorinhas entre a variada e rara fauna silvestre, formam a beleza de Canavieiras.
Na ilha de Atalaia e em certos trechos da Praia da Costa é possível cuidar da saúde nas areias monazíticas. Publicações especializadas destacam Canavieiras como o maior pesqueiro natural de robalo (um peixe de carne nobre) do Brasil, o que atrai para o lugar esportistas adeptos da pesca.A fartura de frutos do mar, do rio e do mangue – caranguejos, ostras, siris, lambretas, camarões, lagostas e peixes de várias espécies. O melhor local do Brasil para pesca de Robalo, com isso faz de Canavieiras um paraíso gastronômico. O município que também é conhecido como Capital do Caranguejo.
O município de Canavieiras está situado a 576 km ao sul de Salvador, 111 km de Ilhéus e 207 km ao norte de Porto Seguro.
A cidade que foi fundada por colonizadores portugueses, por volta de 1700, tem aproximadamente 33.000 (IBGE 2010) habitantes, possui ruas largas, planas e arborizadas e ainda conserva o casario típico dos séculos XVIII e XIX, muito bem conservados.
Apesar de ter ficado famosa depois de servir de palco para gravações de  novelas da Rede Globo,Gabriela,Renascer e “Porto dos Milagres” (adaptação livre do romance “Mar Morto”, de Jorge Amado, escritor ícone de Bahia), Canavieiras não é uma cidade freqüentada pelo turismo de massa, sendo boa opção pra quem quer curtir a natureza.
Pra quem busca tranqüilidade e quer praticar a pesca esportiva, a costa local é considerada uma das melhores do mundo para pesca de Robalo e Marlim-Azul. Além disso, praias boas para wind-surf e caiaque, como a Praia do Patipe fazem parte da região que conta com praias semi-desertas como a do Sul. Das urbanas, destaque para a da Costa e Barra do Albino, também é possível fazer passeios guiados por trilhas ecológicas de bike ou a pé.
Apesar do nome, em Canavieiras é que foi plantado o primeiro pé de cacau a Bahia, na Fazenda Cubículo, com semente trazida da Amazônia. Nos tempos coloniais a cana-de-açúcar era quem movimentava a economia local, hoje, o coco e a piaçava é que o fazem e garantem belas vistas de fazendas pelo caminho para se chegar à cidade.
O ano de 1700 é considerado o começo da povoação de Canavieiras. Na época o município fazia parte da capitania de São Jorge dos Ilhéus.
Mesmo sendo o donatário das terras, um português, Jorge Figueiredo, as terras situadas na foz do rio Pardo (antes Patipe) permaneceram por muito tempo despovoadas de brancos. Com o desmembramento de Ilhéus, em 1833 o território passou a ser chamado de Imperial Vila de Canavieiras e ainda neste século passa a criar novos núcleos populacionais visando à colonização e expulsão dos índios que ali habitavam, além da exploração de metais preciosos descobertos na ocasião.O início do povoamento se deu de acordo com informações da prefeitura municipal, com a chegada de um grupo de brasileiros e portugueses fugidos de índios de outras regiões que estavam em busca de melhores terras para suas lavouras.Eles chegaram a um local conhecido como Poxim (em Tupi, “coisa feia e ruim”) e ali construíram uma capela para São Boaventura,cuja imagem fora encontrada na praia. Em torno da área foi crescendo um povoamento organizado, que logo se expandiu pelas adjacências.
O nome Canavieiras é oriundo de Uma das primeiras famílias a se deslocarem de Poxim para a foz do Rio Patipe (hoje Pardo), esta família chamava-se Vieira e além do sobrenome, como outras, se dedicavam ao cultivo da cana-de-açúcar. Por isso, Cana dos Vieiras, Canavieiras. 
Canavieiras faz parte da região da Bahia denominada de “Costa do Descobrimento”, que abrange todo o litoral sul baiano.As praias de Canavieiras dispensam comentários e valem qualquer viagem que se faça. No centro, encontra-se o Sítio Histórico, com construções coloniais do século XIX, restauradas e preservadas pelo patrimônio histórico.Para o turista, também existe opções de passeios de lancha pelo Rio Pardo, visitando áreas de mangue e sendo brindado com as mais belas paisagens naturais do Brasil. 
Distância da Capital: 582 km (pela BR-101). 
População: Aproximadamente 33 mil habitantes. 
Clima e Altitude: Tropical Úmido com altitude de 4m. 
Temperatura: Média de 24ºC. 
Fuso Horário: Fuso Oficial de Brasília e 3h a menos que o horário de Greenwich. 
Onde comer:Na orla,no Centro Histórico há boas opções para alimentação,além de ser um ambiente bem agradável,onde os restaurantes colocam as mesas na calçada, às margens do Rio Pardo. 
Onde ficar: Existem opções de Camping,pousadas e hotéis na cidade, inclusive alguns situados na praia. 
Como chegar: Pode ser por transporte aéreo,terrestre ou marítimo. 
Via Aérea: Através da empresas operadoras de transportes aéreos que fazem linha para Ilhéus, ou através de pequenas aeronaves particulares que podem pousar diretamente no aeroporto da cidade. 
Via Terrestre: O melhor acesso rodoviário para Canavieiras é através da BA-001, que liga Canavieiras a Ilhéus. 
Via Marítima: A cidade conta com o Porto do Malhado (Ilhéus) para receber passageiros de navios de todas as partes do mundo. 
Serviços: Contamos com serviços Rodoviários,Informações Turísticas, Centro Médico, Policiais, Bancários e a Prefeitura Municipal. 
Como Atrações turísticas, temos, entre outras: 
Construção Histórica: Casario do Centro:Sítio Histórico Governador Paulo Souto (casas do séc. XIX). 
Igreja: Matriz de São Boaventura, construída em 1718. 
Passeio: De Lancha: Rio Pardo, 3 roteiros por áreas de mangue; saídas do cais da cidade (Sítio Histórico).
Aeroporto: Aeroporto de Canavieiras: Pouso de pequenas aeronaves (até 50 passageiros).
Colaboração,Portal do Guaiamum

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site:


Não serão aceitos comentários que:

1. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

2. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.