sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Polícia apreende suspeitos e provas de crimes contra jornalista

A Polícia Militar comandou ontem (quinta, 10), em oito estados, ações de busca e apreensão relacionadas aos atos de racismo sofridos pela jornalista Maria Júlia Coutinho (foto), da Rede Globo, em julho. As medidas tiveram o aval do Ministério Público.Uma das pessoas detidas foi o auxiliar de produção Kaíque Batista, de 21 anos, morador da zona norte paulistana. Ele negou o fato mas admitiu saber de pessoas que atacaram a jornalista por meio de um grupo do qual é moderador. “Vou falar, não vou segurar o rojão de ninguém”, disse ao G1.Os suspeitos podem pegar de dois a cinco anos, no caso de racismo, de um a cinco, no de injúria, e de um a três no de organização criminosa. Há a possibilidade de as penas serem somadas.

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site:


Não serão aceitos comentários que:

1. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

2. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.