quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Na Sombra do Poder: Cosme e Damião no Governo Rui e o secretário slack line

Arquivo // Bocão News
Cosme e Damião do Governo
 
 
Tem uma dupla no governo Rui Costa que já é conhecida como "Cosme e Damião". Os dois dão plantão na porta dos principais caciques do governador na tentativa de resolver tudo da gestão, que se encontra de ponta cabeça. E não é que resolvem?! Desde empresa de serviços a aluguel de máquinas. Chegam cedo na porta do governador e só saem depois do cafezinho. Só assim para resolve as pendengas governistas.
 
“Ô, Bocão!”
 
 Ficou feio para o presidente! A discussão entre Marcelo Nilo e o apresentador Zé Eduardo, na rádio Metrópole, foi motivo de chacota e muito zum-zum-zum na Alba. Na sala do cafezinho, no plenário, e nos corredores da Casa legislativa, a resenha entre os parlamentares correu solta. Alguns olhavam para Nilo e chamavam: “Ô, Bocão!”. O presidente, turrão que só, logo fechou a cara para os colegas. Não adiantou. Os deputados não perderam a oportunidade de tirar sarro com o episódio. Brincadeiras à parte, a atitude de Marcelo Nilo não teve a aprovação da maioria dos 63 deputados. E não foi só a oposição. Até seus próprios aliados criticaram a postura do chefe parlamentar. Um dos deputados procurou o Bocão News e disse: “Isso não é postura de um presidente da Assembleia, ficou feio para a Casa. A atitude de Nilo não teve o apoio de nenhum parlamentar, nem oposição nem aliados”.
 
Quem não ouve conselho, ouve coitado
 
Por falar em Marcelo Nilo, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia está em apuros por causa do motivo que o levou a discutir com Zé Eduardo. O chefe do Legislativo baiano precisa de R$ 17 milhões para não fechar o orçamento da Casa no vermelho, este ano, e não correr o risco de sofrer sanções dos órgãos de controle. No início do ano, o Ministério Público Estadual aconselhou Nilo a cortar os contratos Redas. Ele não acatou. Segundo o site Transparência Bahia, o dirigente destina, por mês, cerca de R$ 2 milhões para pagar os referidos funcionários temporários. Na ponta do lápis: R$ 2 milhões de reais gastos de janeiro a outubro, igual a R$ 20 milhões. Se tivesse ouvido o MP, não estaria com rombo de R$ 17 milhões e ainda teria R$ 3 mi de bônus.
 
Ponto cortado
 
Na última terça-feira (20), foi dia de votação importante na Assembleia Legislativa da Bahia. Em pauta, os projetos para alteração das regras do Planserv e o Concilia Bahia, ambos do Executivo, considerados prioridades para o governo. Ainda assim, teve deputado que faltou. Na lista dos filões estão: Adolfo Viana (PSDB), Antônio Henrique Júnior (PP), Augusto Castro (PSDB) e Marcelino Galo (PT). No final da sessão, o presidente da Casa falou em alto e bom som: “vai ter o ponto cortado”. Será que vai fazer falta no contracheque?! 
 
Isidório vai fechar
 
 É hoje que o deputado estadual Pastor Sargento Isidório (sem partido) vai ficar colorido da vida quando circular por Salvador e se deparar com faixas de pedestres pintadas com tons do arco-íris. A intervenção programada para esta quinta-feira (22) tem viés de campanha em defesa dos direitos dos LGBT, com as bênçãos da prefeitura. Mas, o parlamentar estadual, autointitulado “ex-gay”, não gostou nada da representação e foi até o Ministério Público reclamar. Não adiantou! Se quiser passar por cima das ações voltadas aos gays, lésbicas, transexuais e transgêneros, o jeito vai ser pisar na faixa. Calma, dep!
 
Coelho na cartola
 
E por falar em Isidório, esse já tem tudo esquematizado para sua candidatura. Disputará o pleito de 2016 na capital baiana mesmo. Tudo indica que pelo PTN. Contudo, já tem um 'coelho na cartola'. Vai indicar sua mulher, Francisca Santana, como vice na chapa de Rallison Valentim - irmã de Rilza Valentim - em São Francisco do Conde. "Tá tudo dominado".
 
Herança dos Alencar
 
O vice-governador João Leão (PP), animado que só, no evento que lançou a Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa na Assembleia Legislativa da Bahia, cantou uma nova pedra: ao falar de Otto Alencar Filho, chefe do Desenbahia, traçou o futuro político do filho do senador Otto Alencar (PSD). O "bonitão" foi categórico: "Esse menino tem futuro. Não vai precisar nem passar pela cadeira de presidente da Assembleia Legislativa, vai ser logo é governador. Vai querer a cadeira Rui". Resumo de alguns políticos que ouviram a brincadeira: "O futuro a Deus pertence, cacique para pavimentar andança na política ele tem".
 
Gabriela da Assembleia
 
E ainda falando em João Leão, no mesmo evento, durante seu discurso, o pepista ao citar a presença da deputada Ângela Souza (PSD) a chamou por um novo apelido: "Gabriela da Assembleia", em referência a obra de Jorge Amado, cujo enredo acontece na mesma região da parlamentar estadual.
 
Pela fé
 
 O vice-governador da Bahia contou, durante evento na Fieb nessa semana, como conseguiu o sucesso profissional. O presidente do PP na Bahia falava da sua luta pelo rio São Francisco e lembrou causos vividos às margens da via fluvial. Segundo ele, em uma das ocasiões, teve que ir de Muquém do São Francisco até Bom Jesus da Lapa remando com sua mãe em uma viagem que teria durado dias. O motivo: a genitora fez o gesto como promessa para que um dia seu filho 'Joquinha' fosse um "homem importante". O apelo fez efeito. Por treze dias, o Joquinha, o próprio João Leão, foi governador interino da Bahia.
 
Ressaca poética
 
Com um sorriso largo, o secretário estadual de Cultura, Jorge Portugal, contava para os amigos que tinha bebido “todas” no dia da abertura da Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), na semana passada. Ao perceber que não caiu bem a declaração, o gestor então largou a pérola: “secretário só pode beber poeticamente”.
 
Barreto Slack Line
 
 Fim do ano se aproximando e com ele a reforma administrativa do governo Rui. Cinco estão na corda bamba, mas o nome certo que vai cair do slack line é o secretário de Educação Osvaldo Barreto. Na primeira gestão de Jaques Wagner a coisa não andou, mas Rui Costa já não quer mais esperar. Em tempos de intolerância da população, a Educação é prioridade para Rui Correria. Dessa vez, Barreto cai.
 
Saudades da Alba
 
 Parece que o secretário de Promoção Social e Combate à Pobreza de Salvador, Bruno Reis, sente falta dos discursos que fazia na Assembleia Legislativa da Bahia. Em uma nova função, agora no Executivo, os discursos do atual gestor continuam os mesmos. Quando estava na Alba era criticado por muitos que não conseguiam entende-lo de tanto que gritava no microfone. A empolgação continua a mesma quando vai inaugurar obras ou lançar programas da prefeitura. O secretário fala tão alto que quem está ao lado dá um passinho para trás. Se a garantia da vaga de vice na chapa do prefeito ACM Neto for “no grito”, Reis já ganhou.
 
Fora do ninho
 
Foi uma surpresa ver a superintendente municipal de Política para as Mulheres, Mônica Kalile, no mesmo palco que o prefeito ACM Neto (DEM), durante o início das obras do programa Morar Melhor no Bairro da Paz, no último sábado (17). Este foi um dos primeiros eventos em que a superintendente participou ao lado do prefeito e dos vereadores da base do demista. Totalmente fora do ninho. Cada um que pegava o microfone para falar, reconhecia o colega e agradecia pela presença. Ninguém citou o nome da superintendente. Mônica ficou batida. A superintendente é ligada ao movimento negro, que tem base esquerdista migrou há pouco tempo para a direita. Mesmo assim, Mônica se manteve no palco e saiu de fininho no término do evento. Nem foto nas redes sociais quis publicar.
 
Fechando o tempo
 
 Contra tudo e todos, principalmente ACM Neto (DEM), a possibilidade da vereadora Aladilce Souza (PCdoB) assumir a liderança da oposição da Câmara de Vereadores já tem incomodado alguns quadros da própria bancada e, principalmente, da bancada do prefeito. A comunista desempenhará papel em um ano importante: quando o democrata vai tentar reeleição. Com discurso sempre polêmico, já promete atuação dura e marcação cerrada. Na esteira, a deputada federal Alice Portugal pode sair no lucro.
 
Baba bagunçado 
 
Por falar na sucessão do Executivo soteropolitano, o prefeito ACM Neto tem arrumado o jogo bonitinho, bem estratégico e direitinho. Ao contrário da oposição. Vereadores ainda reclamam que não tem a atenção devida do governo do estado. É sabido, até pela estátua de Tomé de Souza, que o pleito de 2016 é reflexo para 2018. Rui Correria está deixando Neto, literalmente, correr solto entre as arrumações da Câmara e da pavimentação da candidatura.
 
“Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu”
 
Alguns representantes de blocos de Carnaval de Salvador querem ver o “Cão na frente”, mas não querem ver o vereador Lessa (PT). O petista, presidente da Comissão Especial do Carnaval, esta tão cobiçada pelo vereador Carballal (PV), está causando estardalhaço ao apontar e colocar o dedo na ferida de articulações de empresários com a prefeitura e o Concar (Conselho do Carnaval). Novos casos deverão surgir...
 
“Caloteiro”
 
No “pré-expediente” da Câmara de Salvador nesta quarta-feira (21), os vereadores Hilton Coelho (PSOL); Lessa (PT); Moisés Rocha (PT); Gilmar Santiago (PT); Aladilce Souza (PCdoB) e Everaldo Augusto (PCdoB) estenderam uma faixa de protesto contra o prefeito ACM Neto com uma indagação: “Cadê o dinheiro dos Agentes de Saúde e Combate a Endemias?”. Os parlamentares municipais argumentam que toda festa que foi feita não passou de mídia, pois os agentes, além de não receberem o reajuste prometido, estão sendo perseguidos. Neto chegou a ser chamado até de “caloteiro”.
 
Com folga?
 
Nos bastidores da Câmara de Salvador o que se comenta é que a contenda do vereador Edvaldo Brito (PTB) e Leo Prates (DEM) – fato, inclusive, já pacificado entre os dois - sobre a questão da isenção do IPTU a Terreiros de Candomblé, atrapalharam os planos da bancada governista de aprovação do projeto do ITIV. Mesmo Joceval alegando ter número suficiente para aprovar, o PL não foi colocado em votação. O argumento do presidente do PPS foi a “abertura do diálogo”. 
 
Jogo aberto
 
A análise do Dataqualy Pesquisa de Mercado e Opinião sobre as eleições da OAB-BA traz alguns detalhes que ainda não haviam sido revelados. A pesquisa, que foi encomenda pelo grupo do atual presidente Luiz Viana Queiroz, mostra que 50,5% dos advogados disseram que não sabiam em quem votariam quando questionados espontaneamente. Na pesquisa estimulada, no entanto, os indecisos caem para 12,4%.
 
Rejeição
 
A pesquisa mostra ainda que o atual presidente tem hoje uma rejeição maior do que o candidato pela oposição, o advogado Carlos Rátis. Segundo a análise, Luiz Viana tem 13% contra 10,8% dos oposicionistas. De cada 10, cinco afirmam que não rejeitam nenhum dos candidatos.
 
Sinal vermelho
 
O sinal vermelho foi aceso no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). O mês de outubro no órgão não será dos melhores. A expectativa é que arrecadação cai em torno de 16% neste mês por causa da crise econômica e política que enfrenta o País.
 
Farofa de Josefina
 
 Professores e alunos da rede municipal de ensino de Coaraci, no Sul da Bahia, estão revoltados com o descaso da prefeita Josefina Castro (PT) em relação à merenda escolar. Só este ano, a gestora recebeu quase R$ 380 mil do Fundeb para a alimentação dos estudantes. Mas, por lá, nem quantidade, nem qualidade. Semana passada, a comida era farofa de carne com banana, mas apenas no cardápio. No prato mesmo apareceu foi uma farinha grossa com gosto e cheiro duvidosos. Aborrecidos, docentes, alunos e pais querem botar na mesa o mandato da prefeita de nome sugestivo.
 
Botou na rádio
 
 Após promover reuniões com grupo independente, a fim de escolher um nome para a disputa eleitoral em Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, o deputado estadual Herzem Gusmão (PMDB) – derrotado em 2012 pelo atual prefeito Guilherme Menezes (PT) – botou na rádio Clube de Conquista que é “pré-candidatíssimo” ao Executivo local no próximo ano. Os boatos de que o nome dele não estaria no páreo foram classificados como “alarmes do PT, que morre de medo” e “fogo amigo”. O próximo passo, agora, é articular com os outros nomes do grupo independente quem vai para a disputa.
 
 

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site:


Não serão aceitos comentários que:

1. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

2. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.