quinta-feira, 11 de julho de 2013

O BILIONÁRIO PROJETO DO TREM BALA

Apesar da voz clara das ruas e a voz rouca da economia, o governo ainda reiterou o bilionário projeto do trem-bala :SERRA


“Estou convencido de que nada é mais necessário para os homens que vivem em comunidade do que ser governados: autogovernados se possível, bem governados se tiverem sorte, mas, em qualquer caso, governados.” (W. Lippmann)

Ninguém está exigindo da presidente da República ou mesmo do PT que façam um grande governo. Só se está pedindo que façam algum governo. Quem está no poder tem o direito de errar. E o eleitor julga. Mas não tem o direito de não governar.Dilma passou dois anos envolta pela “Bolha de Brasília”, conferindo-se ares de majestade, impermeável à realidade. Mas essa bolha estourou, como evidenciou o cerco aos Três Poderes. E  pasmem: não obstante a voz clara das ruas e a voz rouca da economia sob estagflação, o governo ainda encontrou tempo para reiterar o bilionário e inútil trem bala, o mais alucinado projeto da era petista e não petista.


BLOGUEIRO DIZ: O QUE SERIA IMPORTANTE DE IMEDIATO,E OS BRASILEIROS  CONCORDAM É A MELHORIA E INVESTIMENTOS NAS FERROVIAS,ESTRADAS,PORTOS,ETC.
INVESTIR BILHÕES NESTA UTÓPICA IDEIA,DIANTE DE TANTAS OUTRAS NECESIDADES É UMA MERA LUTA DE VAIDADES. TOMARA QUE OS TRAFICANTES NÃO COLOQUEM UMA PEDRA NO TRILHO E O TREM BALA VOE PELOS ARES


Um comentário:

  1. Realmente o tren bala nao vai ter costo para o povo brasileiro,,,ele sera construido mediante un contrato de explotacao de 40 anos para o consorcio que faca o projeto e dara servico a una populacao de 60 milhoes de pessoas.
    Neste caso sera positivo mesmo que se pense que sera un gasto inutil.

    ResponderExcluir

Regras do site:


Não serão aceitos comentários que:

1. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

2. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.