terça-feira, 14 de agosto de 2018

Eleições 2018: João Gualberto retira candidatura ;não é escolha, mas sentença


A maneira inesperada com que o deputado federal João Gualberto (PSDB) decidiu anunciar hoje sua renúncia à reeleição, sem um aviso prévio formal a seus principais aliados e correligionários nem, principalmente, aos eleitores, torna seu afastamento da vida pública não uma escolha, como, pelo visto, ele gostaria que fosse, mas uma sentença da qual ele terá dificuldade de recorrer, se quiser. 

O comportamento imprevisível de Gualberto sepulta de imediato, por exemplo, qualquer expectativa de que ele pudesse se tornar uma opção do PSDB para a disputa da Prefeitura de Salvador, em 2020, no caso de um afastamento político do partido em relação ao prefeito ACM Neto (DEM), especulação que ganhou os meios políticos depois que o democrata desistiu de concorrer ao governo do Estado, em abril último. 
Até os argumentos utilizados pelo parlamentar para justificar a desistência são incapazes de inspirar qualquer simpatia. “Há um ano venho pensando em tomar essa decisão. Ir para Brasília, ficar longe dos meus negócios e da minha família me deixavam pensativo sobre isso”, disse, acrescentando que adorou ser prefeito mas percebeu, depois de ter se tornado deputado, que sua vida é no Poder Executivo. 
O curioso é o quanto demorou para tomar a decisão definitiva. Pior, o fez sem emitir uma palavra sequer sobre o coletivo, a comunidade, a carente sociedade brasileira e baiana. Seria uma prova de que, como alguns o acusam, Gualberto só representa a si mesmo no Congresso? Pode ser um exagero, mas é a análise que ele permitiu que se faça. A bem da verdade, o deputado federal já vinha sinalizando há algum tempo para aqueles com quem convive de que andava desgostoso. 
A dica mais recente foi ontem, numa reunião com ACM Neto, no Palácio Thomé de Souza, para discutir estratégias de campanha. Em pleno encontro, em que o assunto não cabia, Gualberto disse que ia desistir da candidatura. Como já era algo que se repetia, ninguém achou que fosse verdade, até o prefeito, que, no entanto, segundo um assessor, registrou a informação e comentou sobre ela depois da reunião, sem lhe dar, no entanto, maior peso. 
Dias atrás, uma liderança política havia tentado falar com Gualberto. A ligação foi direcionada para a caixa de mensagens do seu celular, da qual saiu um comunicado em inglês que ele não compreendeu. Foi o suficiente para concluir que o deputado estava fora do país em plena campanha. Como não justificou adequadamente a desistência, o deputado ainda terá de conviver com os boatos de que algo muito sério a provocou. Eles correm rápido.
Por Raul Monteiro




0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site:


Não serão aceitos comentários que:

1. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

2. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.